ROQUE SPONHOLZ


 



 

O amigo da onça


 


 


 


 

oremus…

 


 

Anúncios

PROMESSAS QUE O ASFALTO LEVA

Carlos Brickmann

Coluna Carlos Brickmann

Apenas pessoas maldosas podem dizer que o presidente Bolsonaro é refém dos caminhoneiros, só porque fez a Petrobras perder R$ 34 bilhões em valor de mercado por interferir no preço do diesel. Refém coisa nenhuma! Só porque prometeu construir e duplicar rodovias federais, prometeu liberar R$ 500 milhões do BNDES para dar crédito aos caminhoneiros autônomos, prometeu construir, nas rodovias privatizadas, pontos de repouso para motoristas, com banho, refeições e oficinas para consertos? Bolsonaro não é refém. Não tem culpa se os caminhoneiros acreditam em suas promessas.

Não seria preciso enfrentar uma ameaça de greve dos caminhoneiros para construir novas rodovias e duplicar as já saturadas (tapar os buracos também seria ótimo). Isso não foi feito até agora por falta de dinheiro. Temos estradas por onde nem mulas turbinadas, com tração nas quatro patas, podem passar. Temos estradas que permitiriam dirigir em paz se não fossem os assaltos e o roubo de cargas (e, frequentemente, o assassínio de caminhoneiros). É bem boa a ideia de melhorar a infraestrutura e, assim, reduzir custos e o tempo da viagem – mas quanto custa? E de onde virá o dinheiro?

Os EUA têm boas ferrovias, a Alemanha transporta boa parte da carga em barcaças. Antes, aqui produzimos locomotivas e vagões; hoje importamos até trilhos. Temos rios, mas poucas hidrovias de porte. Já transportamos tijolo de avião, para a construção de Brasília, por falta de outros bons meios de transporte. Mas, se os caminhoneiros acreditam nas promessas, tudo bem.

Ministro completo

Os ministros Dias Tóffoli e Alexandre de Morais criaram algo inédito na história do STF: fizeram a denúncia, comandaram a investigação, acusaram, julgaram e condenaram a revista Crusoé por fake news. Aliás, são fake news de novo tipo: a notícia era a transcrição de um depoimento do empreiteiro Marcelo Odebrecht, no qual esclarecia quem era “o amigo do amigo do meu pai” citado nas planilhas da empresa. Segundo ele, era o hoje ministro Dias Tóffoli, que na época dos fatos mencionados era advogado geral da União.

O ministro relator, Alexandre de Morais, determinou à revista Crusoé e ao site O Antagonista que retirassem quaisquer menções deste fato em suas edições antigas da Internet, e nada mais publicassem, sob pena de multa diária e pesada. Mandou que os responsáveis fossem convocados a depor. E determinou à Polícia Federal que fizesse busca e apreensão de material de informática nas casas de outras dez pessoas, incluindo um general da reserva.

Cada um no seu quadrado

A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, arquivou o inquérito, alegando, entre os motivos, a falta de obediência ao devido processo legal e ao sistema penal de acusação. Segundo Raquel Dodge, o Judiciário, por lei, não pode conduzir essas ações e cabe ao Ministério Público conduzi-las.

E daí? Daí que estamos no Brasil. O senador Randolfe Rodrigues teme que o relator do caso, Alexandre de Morais, ignore o arquivamento e toque em frente a ação. Se o fizer, haverá problemas: há a possibilidade, caso a questão continue, de Tóffoli e Morais serem derrotados em votação no plenário do Supremo. O palpite é 7×4. E muita gente, incluindo o vice-presidente general Mourão, diz que isso é censura e ainda mais que censura.

Abanando as brasas

De qualquer maneira, Tóffoli e Morais conseguiram fazer com que uma notícia que seria lida por alguns milhares de pessoas se transformasse num caso nacional. A revista foi amplamente replicada nas redes sociais. Muito mais gente tomou conhecimento da reportagem. Tanto a revista quanto o site vencem: provaram que atingem muito mais gente do que imaginavam. E a Internet se encheu de memes com “o amigo do amigo do papai”.

Renomeando

O governador de São Paulo, João Doria, hoje o comandante de fato do PSDB, anunciou uma pesquisa para avaliar vários pontos, que incluem a mudança de nome do partido. Este colunista gostaria de colaborar com algumas sugestões: seguindo o exemplo do Podemos (o partido de Álvaro Dias), o PSDB poderia se chamar Hesitemos.

Ou, seguindo Marina Silva e sua Rede, que tal o PSDB passar a chamar-se Muro? Haveria um nome mais popular, claro: o tucano, símbolo do partido, é uma ave de bico grande, voo curto, e que se caracteriza por, a cada passo, exigir que o chão seja lavado. Que tal essa característica denominar o partido que lança um Picolé de Chuchu a presidente da República?

Progressismo

A advogada Nasrin Sotoudeh está presa no Irã há oito meses, pelo crime de ter defendido nos tribunais mulheres que haviam sido detidas por remover em público os lenços que cobriam suas cabeças. Nasrin foi condenada, em processo secreto, a 38 anos de prisão e 148 chibatadas – daquelas que machucam e deixam marcas no corpo para a vida inteira.

___________________________________________________
COMENTE:

carlos@brickmann.com.br


Twitter: @CarlosBrickmann

http://www.brickmann.com.br

ROQUE SPONHOLZ

Cães e Livros




Quasimodo…


o amigo do amigo do amigo do meu pai, censura a Crusoé


Caixa de entrada
x

NÃO É O PAPAI…

Surpreendentemente, a imagem da ilustração não é o novededos tocando flauta, apesar de parecer, mesmo porque com nove dedos não dá para tocar flauta. Também, nem poderia, pois não sabe nem ler direito. Nem por isso o novededos deixou de flautear grande parte de sua vida de político. Agora está flauteando numa cela na PF de Curitiba

Mas que o  flautista Sir James Galway (na foto), um dos suprasumo do planeta no instrumento, é quase um sósia, acho que concordarão. E se ele soubesse que a parecença é tão perfeita com o boneco de engonço preso, provavelmente se sentiria incomodado pelo fato e, no mínimo, tiraria a barba para atrapalhar a identificação.

O instrumentista é um irlandês do norte, da cidade de Belfast, que recebeu o título da rainha da Inglaterra por representar tão bem o Reino Unido.

Faz muito tempo que não publico música. Esta vai ser uma exceção.

A linda peça é de Wolfgang Amadeus Mozart, o concerto para flauta e harpa KV-299. A harpista é a espanhola Marisa Robles, outra sumidade no instrumento. Tem inacreditáveis 82 anos. E a orquestra é a ótima Sinfônica de Londres, sob a regência do maestro Michael Tilson-Thomas.

Há uma entrevista primeiro, com o ator Dudley Moore (dos filmes Mulher nota 10 e Arthur – O milionário sedutor). O concerto propriamente dito começa aos 20:10, com os movimentos Allegro, Andantino e Rondo-Allegro. O Andantino é a parte mais bonita do concerto do gênio austríaco. O link é do You Tube

 

https://www.youtube.com/watch?v=dMfmcODMvmA

ROQUE SPONHOLZ

FORA GILMAR !!!

Leiam o artigo do link abaixo!

http://www.zebeto.com.br/2019/04/12/pela-degola-do-gilmar/#.XLB7u9h7nDc

 

 


…e alguns senadores canalhas cagões arquivaram a LAVA TOGA !!!


 

SER HUMANO PERIGOSO ?

Bill De Blasio

Bolsonaro pela imprensa estadunidense

Bill De Blasio é o atual prefeito (reeleito) de Nova York. Esse sujeito faz parte da ala mais radical do Partido Democrata (que é o partido esquerdista dos EUA), o que já diz muita coisa sobre ele. Num país que elegeu Trump, um direitista, como presidente, só não é muito surpreendente que um democrata tenha sido eleito prefeito, porque Nova York é uma cidade extremamente cosmopolita, o que faz que a esquerda seja muito ouvida.

O que nos interessa é que essa figura disse que se preocupa com os planos de Bolsonaro para a exploração da Amazônia — algo que o nova-iorquino afirma que poderia colocar todo o planeta em risco —, bem como seu “racismo evidente” e sua “homofobia”.

— Esse cara é um ser humano muito perigoso — afirmou o prefeito. — Eu certamente peço ao museu que não permita que ele seja recebido lá. Se você está falando de uma instituição apoiada publicamente (o museu) e está falando de alguém que está fazendo algo tangivelmente destrutivo (Bolsonaro), fico desconfortável com isso — declarou De Blasio à rádio.

De Blasio se referia à cerimônia de gala que está prevista para ser realizada pela Câmara de Comércio Brasil-Estados Unidos no dia 14 de maio. Bolsonaro é convidado de honra do evento e, na ocasião, receberá o título de “Pessoa do Ano” dado pela Câmara. O evento está agendado para acontecer no Museu de História Natural de Nova York, mas a instituição alega que a reserva do espaço foi feita antes de ser informada sobre quem receberia a honraria.

Em um comunicado à imprensa sobre a cerimônia de gala, a Câmara de Comércio Brasil-Estados Unidos destacou que Bolsonaro obteve 57 milhões de votos nas eleições brasileiras de outubro de 2018 e elogiou seu trabalho em questões como segurança pública e direitos dos veteranos militares.

Em uma rede social, o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), filho do presidente e presidente da Comissão de Relações Exteriores da Câmara, respondeu ao ataque de De Blasio, afirmando que o prefeito pertence ao movimento globalista, que segundo ele pretende acabar com as culturas locais:
“O movimento cultural que ocorre no Brasil ocorre da exata e mesma forma no Chile, Inglaterra, França e, claro, nos EUA. Isso visa à construção de um novo mundo suprimindo as culturas locais. Depois falamos que são GLOBALISTAS e ainda há quem queira fazer chacota conosco”, escreveu.

Paulo Eduardo Martins, jornalista brasileiro e deputado federal, disse em sua rede social: O prefeito de Nova York, Bill de Blasio, disse que o presidente Bolsonaro é um “ser humano perigoso”, “notoriamente racista e homofóbico”, que está destruindo a floresta amazônica.

É a prova que “o idiota” não habita somente a América Latina. “O idiota” está por toda parte.

Magu comenta: Como se vê, não são apenas os petralhas que falam merdas… É a doença chamada ‘esquerdismo’ que provoca isso. Sem contar que um prefeito de uma das maiores cidades do mundo ser tão estúpido com um presidente de um país democrático (felizmente ainda). Dizem que educação é algo que cabe em qualquer lugar, mas a imbecilidade do Bill já ocupou todo o espaço dele. Parece que não sobrou nada…

ROQUE SPONHOLZ

Enquanto isso, na CCJ…


 

00rs0411ars.JPG


00rs0411brs.JPG